Siga-nos no Facebook / Twitter!

PROGRAMAÇÃO: Outubro 2016

Filme
OUT
6
Foto
Pablo Larraín

Filme
OUT
13
Foto
François Ozon
* TRAZ OUTRO AMIGO TAMBÉM

Filme
OUT
20
Foto
Werner Herzog

Close-up – Observatório de Cinema

Sala de exibições Pequeno auditório
Casa das Artes de V. N. de Famalicão
Parque de Sinçães - V. N. de Famalicão

bottom corner

 
   

Close-Up

Close-up – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão
1.º episódio de 27 a 30 de Outubro na Casa das Artes de Famalicão



O Close-Up é um novo projeto cultural do Município de Vila Nova de Famalicão que tem o duplo objetivo de aumentar e diversificar a oferta cultural do território e de formar novos públicos na área do cinema. A sétima arte é um dos mais fortes veículos de transmissão de cultura e a sua capacidade para induzir nas pessoas a dúvida e a reflexão, faz do cinema um importante instrumento para o crescimento e desenvolvimento da sociedade.”

Paulo Cunha
Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão

O nome do Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão toma de empréstimo o título do filme Close-Up do cineasta iraniano Abbas Kiarostami. Ao mesmo tempo que constitui uma homenagem sentida, assume com esta designação uma dupla perspetiva. Por um lado, explicita uma ideia de diálogo e aproximação à atmosfera cinematográfica que nos projeta, representa e questiona globalmente. Por outro, valoriza dentro desse contexto o espaço de fricção e interação criativa entre a ficção e o real, um traço distintivo e incontornável do cinema de Abbas Kiarostami. Procuramos fazer, de modo análogo, um cruzamento entre a persistência vivencial que molda a nossa identidade e consciência individual e coletiva e a sua persistência imagética enquanto experiência fílmica. A memória emergiu, assim, naturalmente como resultante estrutural desta primeira edição do Observatório de Cinema. Da memória real ou ficcional à sua persistência fusional na retina.

A noite e o nevoeiro de 70 anos de imagens do Holocausto protagoniza a secção Paisagens Temáticas, díspares abordagens, descendentes da oralidade de Shoah de Lanzmann, das suas narrativas e memórias. Uma família em Tóquio é uma das possibilidades para o cruzamento do clássico (e iconoclasta) Ozu e um dos mestres dos Studio Ghibli, Isao Takahata: são Histórias do Cinema. É também de memória que se alimenta a Fantasia Lusitana, com duas subsecções de produção portuguesa: filmes diarísticos (muitas vezes em família), pouco apresentados fora do contexto dos festivais, aventureiros no deambular entre ficção e documentário e que procuram mostrar outro país; com a morte do gigante Oliveira ainda a planar sobre as nossas cabeças, três obras que exploram afinidades electivas, com mais dois protagonistas: João Bénard da Costa e João Botelho.

A filmografia do pernambucano Gabriel Mascaro, em grande parte em estreia em Portugal (já esteve a concurso no IndieLisboa, onde também foi apresentado Boi Néon), que já conheceu passagens pelos Festivais de Veneza e Locarno, será o foco da secção Cinema Mundo. Nunca nos curamos da nossa infância, ouve-se durante A Toca do Lobo (filme da secção Fantasia Lusitana), que serve de mote para agrupar e analisar filmes sob a temática da Infância e Juventude. Este Observatório de Cinema pretende estimular um forte vínculo com a comunidade, com Sessões para Famílias, e em particular com a população estudantil, com Cinema Para as Escolas, de todos os graus de ensino e em especial para os alunos do audiovisual, em articulação com o Plano Nacional do Cinema.

Haverá também espaço para Extrapolações: imagens em movimento fora sala de cinema, com a instalação vídeo Chant Portraits de Luciana Fina (1 a 31 de Outubro no foyer), concebida para o Festival Temps d’Images; um filme-concerto na sessão de abertura com Buster Keaton (O Marinheiro de Água Doce) musicado pelo quinteto de Bruno Pernadas; e no café-concerto, a partir da meia noite há DJ Close-up: bandas sonoras em diálogo com histórias do cinema.

Na Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão, 25 sessões comentadas ao longo de 4 dias de programação intensa, com réplicas que se anunciam espaçadas de 2 meses: Que Viva o Cinema!

Bilheteira
Geral: 2 euros
Cartão quadrilátero: 1 euro
Entrada livre: estudantes, seniores, associados de cineclubes
Toda a Informação em www.closeup.pt

Close-up – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão



De 27 a 30 de Outubro, em vários espaços da Casa das Artes de Famalicão, o primeiro episódio do Close-up – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão, com a realização de 25 sessões comentadas de cinema contemporâneo e com trilhos pela história do Cinema, sessões para escolas e para famílias, debates, instalações e, para expandir a noite, teremos música no café-concerto, com banda-sonoras muito originais.







CHANT portraits Instalação Vídeo de Luciana Fina _1 a 31 de Outubro [foyer] [8.1]

CHANT portraits”, 60 minutos para um retrato. No início é apenas frontalidade, a extensão do olhar num longo tempo de exposição, entre o tempo de uma canção e o tempo de um retrato. Com o videotríptico “CHANT portraits”, a artista inaugurou a sua galeria de retratos filmados convocando um universo que lhe é próximo. Nos três retratos - Carla Bolito, Vera Mantero, Isabel Ruth - três gerações diferentes de artistas do teatro, da dança e do cinema, em três planos de 60min, a extensão máxima do suporte utilizado. A instalação foi realizada nos “Chantiers”, espaço de criação e diálogo entre artes visuais, cinema e artes performativas, do Festival Temps d’Images.





dia 1, 27 de Outubro


(10h00, GA) A Flor do Equinócio de Yasujiro Ozu _ [2] / [6]
(sessão para escolas do audiovisual e para o público, comentada por
David Pinho Barros)


(15h00, PA) Filminhos + Oficina de Animação _ [6]

(sessão para escolas do 1.º ciclo)


(18h00, PA) Campo de Flamingos sem Flamingos de André Príncipe _ [3]
(sessão comentada por André Príncipe e Vasco Câmara)


(21h45, GA) - SESSÃO DE ABERTURA [8.2]

Marinheiro de Água Doce de Buster Keaton _ Filme-Concerto por BRUNO PERNADAS


(23h00, GA) Ventos de Agosto de Gabriel Mascaro _ [4]
(sessão comentada por Vasco Câmara)


(0h00, Café-concerto) DJ Close-up: Vicente Pinto Abreu [8.3]





dia 2, 28 de Outubro



(10h00, GA) Gesto de António Borges Correia _ [4] / [6]

(sessão para escolas do 2.º e 3.º ciclos e para o público, comentada por António Borges Correia)


(15h00, GA) A Infância de Ivan de Andrei Tarkovski _ [4] / [6]

(sessão para escolas do audiovisual e para o público, comentada por Elsa Mendes)


(16h00, PA) In Medias Res de Luciana Fina _ 28 de Outubro _ [3] / [6]

(sessão para a Faculdade de Arquitectura da Universidade Lusíada e para o público, comentada por Luciana Fina e Pedro Oliveira)


(18h00, PA) Gipsofila de Margarida Leitão _ [3] (sessão comentada por Luís Mendonça e Margarida Leitão)


(21h30, PA) Treblinka de Sérgio Trefaut + Filho de Saul de László Nemes [1]
(sessão comentada por Elena Piatok)



(21h45, GA) Boi Neon de Gabriel Mascaro _ [4]
(sessão comentada por Maurício D’ Orey)


(0h00, Café-concerto) DJ Close-up: antena-insecto limitada apresenta: A Idade de Ouro de Buñuel [8.3]



Dia 3, 29 de Outubro


(15h00, PA) A Grande Batalha dos Guaxinins de Isao Takahata _ [2] / [7]
(sessão para famílias, de temática ambiental, comentada por Manuela Araújo e João Paulo Soares)



(16h00, GA) Bom Dia de Yasujiro Ozu _ 29 de Outubro [2] / [5]
(sessão comentada por Luís Mendonça e Manuel Sarmento)

(17h45, GA) Hannah Arendt de Margarethe Von Trotta _ [1]
(sessão comentada por Clara Ferreira Alves)


(18h00, PA) Rio Corgo de Maya Kosa e Sérgio da Costa _ [3]
(sessão comentada por Luís Urbano)


(21h30, GA) O ORNITÓLOGO de João Pedro Rodrigues _ Sessão Especial
(sessão comentada por Nuno Carvalho)


(21h45, PA) Avenida Brasília Formosa de Gabriel Mascaro _ [4]
(sessão comentada por Américo Santos)


(0h00, Café-concerto) DJ Close-up: Eduardo Morais apresenta Tecla Tónica [8.3]



Dia 4, 30 de Outubro


(15h00, PA) Curtinhas – Premiados no Curtas de Vila do Conde 2016 _ [7]


(16h00, PA) Memórias de Ontem de Isao Takahata _ [2] / [5]
(sessão comentada por David Pinho Barros e Luís Mendonça)

(16h00, GA) João Bénard da Costa: Outros Amarão as Coisas Que Eu Amei de Manuel Mozos _ [3] (sessão comentada por Manuel Mozos)



(18h00, GA) Visita ou Memórias e Confissões de Manoel de Oliveira [3]
(sessão comentada por António Preto)


(21h45, GA) O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu de João Botelho [3]
(sessão comentada por João Botelho, sujeito a confirmação)


(21h45, PA) O Homem Decente de Vanessa Lapa _ [1] (sessão comentada por Elena Piatok)


[1] PAISAGENS TEMÁTICAS: Noite e Nevoeiro – 70 anos de Imagens do Holocausto
[2] Histórias do Cinema: Yasujiro Ozu + Isao Takahata: Uma Família em Tóquio
[3] FANTASIA LUSITANA
3.1 Filmes Diarísticos / Aventureiros na Linguagem
3.2 Afinidades Electivas: Bénard da Costa, Manoel de Oliveira e João Botelho
[4] CINEMA MUNDO: Gabriel Mascaro
[5] InfÂncia E JUVENTUDE: Nunca nos curamos da nossa infância
[6]
CINEMA PARA AS ESCOLAS
Com a participação do Agrupamento de Escolas de Camilo Castelo Branco (1.º, 2 e 3.º ciclos e alunos do audiovisual); Faculdade de Arquitectura da Universidade Lusíada (Famalicão e Porto)
[7] CINEMA PARA FAMILIAS
[8] EXTRAPOLAÇÕES
8.1 - CHANT portraits Instalação Vídeo de Luciana Fina _1 a 31 de Outubro [foyer]
8.2 - Marinheiro de Água Doce de Buster Keaton _ Filme-Concerto por BRUNO PERNADAS - SESSÃO DE ABERTURA - 27 de Outubro (21h45, GA)
8.3 – DJ Close-up (Café-concerto, 0h00)

Close-up – Observatório de Cinema de Vila Nova de Famalicão (1.º episódio, 27 a 30 de Outubro)


bottom corner